czwartek, 17 marzec 2016 08:55

Fundadora da Congregação

Santa Úrsula Santa Úrsula

SANTA JÚLIA ÚRSULA LEDÓCHOWSKA

Fundadora da Congregação das Irmãs Ursulinas do Coração de Jesus Agonizante

 Vida

1865
Júlia nasce em Loosdorf, na Áustria Baixa, como segunda criança dos sete filhos de Antoni e Józefina Salis-Zizers.

1883
A família dos Ledóchowski transfere-se para Lipnica Murowana, perto de Cracóvia.

1886
Júlia entra no convento das irmãs ursulinas em Cracóvia, conhecido por seu elevado nível espiritual, como também do trabalho pedagógico e educacional no meio das jovens tanto do lugar, como dos lugares distantes de Galícia e da Rússia.

1904
Madre Úrsula torna-se superiora do convento das ursulinas, em Cracóvia.

1907
Parte para Petersburgo com a benção do papa Pio X juntamente com duas irmãs e assume a direção do internato para as moças junto ao Ginásio polonês de Santa Catarina.

1908
A comunidade crescente das irmãs, vivendo na clandestinidade, torna-se a casa autônoma das ursulinas em Petersburgo e, a madre Úrsula sua superiora. Também no noviciado clandestino estão se preparando para a vida religiosa as futuras ursulinas.

1910
Surge uma comunidade ursulina sob o Golfo Pérsico junto com o ginásio e internato para as moças- realizando as ideias pedagógicas da M. Úrsula.

1914
A explosão da guerra traz a expulsão da m. Úrsula da Rússia. Parte para a Escandinávia, parando primeiramente em Estocolmo, depois em Dinamarca. Devagar transfere para cá as irmãs de Petersburgo tomado pela guerra e juntamente com elas organiza uma escola para as jovens da Escandinávia. Insere-se no ambiente e na vida da Igreja local e assume a colaboração com o Comitê de Ajuda aos Órfãos da Guerra, fundado na Suíça por Henryk Sienkiewicz.

1920

A comunidade ursulina de Petersburgo retorna para a Polônia – a Pátria livre e estabelece-se em Pniewy, perto de Poznań. Logo depois recebe a licença da Santa Sé para transformar a casa autônoma para Congregação das Irmãs Ursulinas do Coração de Jesus Agonizante (as ursulinas cinzentas). Brota então, um novo ramo no velho tronco, que deseja viver a espiritualidade ursulina com a tradição do trabalho educativo e pedagógico como um instrumento privilegiado nos tempos que mudaram, procurando ao mesmo tempo, as formas que corresponderiam às necessidades novas, especialmente das pessoas pobres. A Congregação sob a direção da M. Úrsula desenvolve-se rapidamente. Surgem as comunidades e obras na Polônia e as comunidades missionárias nas Regiões Fronteiriças, no Leste da Polônia. A partir do ano de 1928 a Congregação está presente na Itália e, a partir do ano de 1930 as irmãs estão organizando as comunidades na França, acompanhando as moças que partem para a França buscando o trabalho e melhores condições de vida.
A Madre está formando as irmãs, antes de tudo, para amar sobretudo a Deus, desejando para que vivam na simplicidade, sejam humildes, mas ao mesmo tempo, cheias de dedicação e criativas em assumir as iniciativas de trabalho em prol dos outros, de modo especial, em prol das crianças e da juventude. Como sinais características de um testemunho veraz de união com Cristo considera o sorriso, a serenidade de espírito e a bondade. Para este testemunho atribui a grande influência da evangelização e da educação. Ensina que, a santidade é possível para todos e que consiste no engajamento nas obrigações diárias, cheio de amor a Deus e aos homens. 

Ela mesma viaja bastante, visitando as comunidades e dando resposta para as novas propostas de trabalho. Valorizando o enorme papel das organizações auxiliares à catequese e a educação religiosa, transfere para o território polonês, entre outros, a Cruzada Eucarística (hoje Movimento Eucarístico Jovem). Organiza a edição dos livretos para as crianças e a juventude, ela mesma escreve para eles os artigos. Na sua vida transbordante de atividades encontra tempo para escrever os livros para as crianças. Participa ativamente na vida religiosa, cultural e social do País, pelos quais recebe os altos condecorações nacionais.

M. Úrsula queima-se por amor a Jesus Cristo e este amor urge-a em tudo, o que faz. Ama o ser humano – cada pessoa, sem exceção de credo, convicções ou posição.

1939
Quando morre, em Roma, no dia 29 de maio, as pessoas dizem que "morreu uma santa..."

1983
No dia 20 de junho João Paulo II beatifica m. Úrsula, em Poznań. Esta é a primeira beatificação realizada na terra polonesa.

1989
O corpo preservado da bem-aventurada Úrsula está sendo transladado de Roma para Pniewy - Polônia e depositado na capela da Casa Mãe, da Congregação.

2002
A proclamação do decreto sobre o reconhecimento do milagre pela intercessão da bem-aventurada Úrsula encerra o processo de canonização.

2003
João Paulo II realiza em Roma, no dia 18 de maio, a canonização da Úrsula Ledóchowska.

 

Czytany 675 razy Ostatnio zmieniany sobota, 26 marzec 2016 09:08
Więcej w tej kategorii: Quem somos »